O PARAÍSO MARINHO DE ABROLHOS

Você já saiu para um dia de excursão que acabou se transformando em três dias de alto mar? Eu já! Tudo começou com um passeio de catamarã com a agência de turismo Horizonte Aberto Catamarãs para conhecer o primeiro parque marinho do Brasil: Abrolhos.

De 21 a 25 de março de 2013
Caravelas → Parque marinho de Abrolhos (de barco) → Ilhéus → ônibus para Caravelas
Por Vanessa ~ Terra Tributa

Depois de três horas de navegação na costa de Caravelas, começamos a perceber as ilhas do parque marinho. Nosso guia, Gale, nos explica: “Abrolhos foi o primeiro parque marinho a ser criado no Brasil, em 1983. Um navegador do século XVI foi quem lhe deu esse nome: “abre os olhos”, já que a navegação ali era difícil. Mas desde 1861 o farol sobre a ilha de Santa Bárbara guia os barcos.”

Desembarcamos na ilha de Siriba, a única ilha onde os turistas estão autorizados a pôr os pés. Graças ao diretor do parque, Ricardo Jerozolimski, obtivemos permissão para dar uma volta na ilha com uma guia voluntária. Cerca de meia hora de caminhada sobre os rochedos admirando o oceano e a colônia de atobás brancos (Sula dactylatra) e de atobás marrons (Sula leucogaster). Assim como os da l’île Bonaventure, no Quebec, esses pássaros são muito fáceis de fotografar, já que não fogem quando nos aproximamos. Pequenas diferenças: o período de nidificação aqui abrange o ano inteiro graças a uma temperatura amena. É por isso que os atobás brasileiros não precisam migrar como seus irmãos do Norte.

7-Paysage-Parc-National-Marin-des-Abrolhos-Bahia-Bresil-©TerraTributa (2)

A ilha de Santa Bárbara é propriedade da marinha brasileira, que também gere o farol, de construção francesa. Tentamos obter uma permissão especial para ficar duas noites na ilha, mas parece que não vai dar…


8-Faune-Poissons-Holacanthus-Ciliaris-Parc-National-Marin-des-Abrolhos-Bahia-Bresil-©TerraTributa (3)
Bom, está na hora de mergulhar em apneia! Apesar da maré alta e da visibilidade um pouco reduzida, ficamos simplesmente maravilhados. Nosso melhor mergulho no Brasil, sem sombra de dúvida. A cereja do bolo é o peixe-anjo (Holacanthus ciliaris) que nos deslumbrou com suas cores flamejantes!


9-Catamaran-Famille-Belgique-Abrolhos-TerraTributa

Uma oportunidade imperdível

Perto de nosso catamarã, percebemos um segundo barco. Os guias nos informam que são franceses. Olho para Bertrand: “por que não perguntar se eles não podem nos alojar?” Dito e feito! Aproximamo-nos do zodiac para falar com eles. No fim, não se tratava de uma família de franceses e sim de belgas.

Um casal muito simpático, Olivier e Patrícia, com seus filhinhos de 3 e 5 anos, Zoé e Maxime. Eles saíram para uma viagem de quatro anos ao redor do mundo tendo começado nas Seychelles em maio passado. Quando perguntamos se podemos dormir no barco, Olivier nos responde: “Podem ficar conosco sem problemas, só que amanhã partiremos para Ilhéus, o que vai levar dois dias.” Fazer o quê? Bertrand não está se sentindo muito bem e logo decide voltar para Caravelas e cuidar da sua dengue. Mas, e eu? Digo-me, por que não? Uma oportunidade destas não aparece a toda hora! Bertrand me ajuda a trazer minhas coisas para o barco belga. Pela primeira vez em um ano, nos separamos.

A viagem transcorre bem embora eu durma todo o primeiro dia (e toda a noite) por conta do enjoo… No segundo dia, estou melhor. Durante a noite, fico um pouco com Patricia sob as estrelas, por que o piloto automático do barco está quebrado. Chegamos a Ilhéus às 4h30 da manhã e logo parto de ônibus para Caravelas (9 horas). Na manhã seguinte, encontro um Bertrand bem descansado na pousada do vilarejo.

Muito obrigado a toda a equipe da Horizonte Aberto Catamarãs pela descoberta do incrível parque marinho de Abrolhos. Muito obrigado também a Ricardo Jerozolimski, diretor do parque e a Maria Aparecida Macário.

Publicités