A CAMINHO DA LUA COM AS TARTARUGAS

Quem nunca sonhou em ver uma tartaruga marinha pôr seus ovos na praia e partir de novo em direção à lua? Tivemos essa sorte graças à equipe do projeto Tamar da base da Praia do Forte. Uma experiência incrível em companhia das tartarugas marinhas do Brasil!

31 de janeiro a 2 de fevereiro de 2013 ~ TOTAL : 7.000 km
Praia do Forte (Bahiaa)
Por Vanessa – TERRA TRIBUTA




Pequenas tartarugas cabeçudas de alguns dias nadam numa tanque antes de serem recolocadas em liberdade. As tartarugas do centro de visitas tem um grande poder de educação ambiental sobre o público. Know it, love it and protect it !» (conheça, ame e proteja) é uma frase que marcou muito Bertrand em sua viagem pelo Canadá.

Pequenas tartarugas cabeçudas de alguns dias nadam numa tanque antes de serem recolocadas em liberdade.
As tartarugas do centro de visitas tem um grande poder de educação ambiental sobre o público.
« Know it, love it and protect it ! » (conheça, ame e proteja) é uma frase que marcou muito Bertrand
em sua viagem pelo Canadá.


De outubro a março, quando um ninho de tartarugas eclode no centro de visitas, as pequenas tartarugas são recolocadas em liberdade diante de uma multidão maravilhada! De cada 1000 tartarugas que chegam à água, apenas 2 atingirão a idade adulta (0,2 %).

De outubro a março, quando um ninho de tartarugas eclode no centro de visitas, as pequenas tartarugas são recolocadas em liberdade diante de uma multidão maravilhada!  De cada 1000 tartarugas que chegam à água, apenas 2 atingirão a idade adulta (0,2 %).


VOCÊ SABIA?

  • Cinco espécies de tartarugas marinhas, das sete que existem no mundo, são encontradas nas magníficas costas brasileiras.
    Peso médio : tartaruga oliva 40 kg, tartaruga de pente 150 kg, tartaruga cabeçuda 140 kg, tartaruga verde 200 kg, tartaruga gigante 700 kg.
  • Uma tartaruga gigante pode mergulhar à profundidade de 1.000 metros; a maior já encontrada no mundo pesava 916 kg !
    17 vezes mais pesada que nossas bicicletas carregadas!
  • Algumas tartarugas marcadas no Brasil (com um numerozinho na nadadeira) já foram observadas na África (3.000 km) e até na Austrália (15.500 km).
  • Dependendo da espécie, as tartarugas marinhas atingem a idade adulta de reprodução com cerca de 30 anos e a esperança de vida é estimada pelos cientistas em 100 anos !
  • Entre os meses de outubro e março, o litoral brasileiro se transforma em área de nidificação. Depois de 45 a 65 dias de incubação, os ovos eclodem e as tartaruguinhas se dirigem para o oceano.
  • A temperatura da areia influencia no sexo e na duração da incubação dos ovos. Quanto mais quente, mais a incubação é curta (45 dias) e mais fêmeas são geradas.
  • O projeto TAMAR existe há 33 anos no Brasil.  Mais de 15 milhões de pessoas já o visitaram e 15 milhões de tartaruguinhas já foram colocadas na água.
  • Mais de 50 % das tartarugas autopsiadas pela equipe do projeto morreram por causa da ingestão de sacos plásticos
  • Hoje em dias as grandes ameaças são, entre outras, o desenvolvimento do litoral brasileiro e a pesca acidental.



Uma tartaruga cabeçuda nadando num dos tanques do projeto Tamar da Praia do Forte. Essa espécie é considerada em “perigo” no Brasil e do mundo com uma população estimada de 60.000 fêmeas em idade de reprodução.

Uma tartaruga cabeçuda nadando num dos tanques do projeto Tamar da Praia do Forte. Essa espécie é considerada em “perigo” no Brasil e do mundo com uma população estimada de 60.000 fêmeas em idade de reprodução.


UM TRABALHO DE EQUIPE

O objetivo inicial do Projeto Tamar era proteger as tartarugas marinhas ameaçadas de extinção no litoral brasileiro. No entanto, essa proteção só podia se tornar efetiva com a ajuda da população locas que, pouco tempo atrás, ainda caçava tartarugas para se alimentar. Assim, o projeto Tamar estabeleceu três campos de ação importantes: conservação e estudos aplicados; educação ambiental; e desenvolvimento local. Os pescadores de ontem trabalham hoje na proteção das tartarugas. Os “tartarugueiros” vigiam as praias e acompanham os ninhos, uma ajuda para os biólogos – e para as tartarugas!

Fonte : http://www.tamar.org.br

Publicités