115 HORAS COLORIDAS SOBRE O RIO AMAZONAS

Desde sempre, a navegação é o melhor meio para circular na Amazônia, especialmente no gigante rio Amazonas.

Algumas cifras de deixar qualquer um mareado:

  • 6.500 km: é o mais longo rio da Terra junto com o Nilo
  • 209.000 m3/s de débito médio (16 vezes o do rio Saint-Laurent – 12.000 m3/s)
  • Mais de 1.000 afluentes

Depois de algumas peripécias para comprar nossas passagens e para chegar ao nosso barco, finalmente embarcamos com nossas bicicletas e começamos a instalar nossas redes. Essa aventura de 4 dias (na verdade 5) é uma viagem de descoberta mas também uma experiência cultural e colorida. Nada menos do que 30 redes balançam num espaço de 40 m2 em cada andar. Seguem algumas fotos e um vídeo apresentando nossas boas e más surpresas… Preparados para 1700 km de água!

No dia de nossa partida, a cidade de Manaus estava completando seu 343º aniversário!

Deixamos o porto depois de 5 horas de atraso. O tempo escoa de maneira diferente num barco.

Na estação das chuvas, o nível de água pode ser vários metros mais alto.

Vanessa no nosso barco, o Nélio Correa

Proximidade garantida com nossos vizinhos! Conselhos para a escolha de um bom lugar: longe de uma luz que fica acesa a noite inteira, longe da música (de estourar os ouvidos), longe dos banheiros…

Vídeo curto mostrando o ambiente musical do barco…

Uma de nossas passagens preferidas: a descoberta das casas tradicionais dos Ribeirinhos, os habitantes que moram perto do estreito de Breves.

Se você pretende descer ou subir o rio amazonas, não se esqueça de comprar algumas roupas ou lápis que você possa dar quando passar pelas famílias dos ribeirinhos. Cerca de vinte sacos plásticos com roupas foram lançados do barco. Infelizmente, não tínhamos sido informados desse costume.

A maioria das casas é cor de madeira, mas algumas ostentam cores vivas.

Há vários tipos de barcos que navegam no rio: grandes cargueiros…

Outras embarcações são menores, como esse barco a motor;

Ainda mais rústica, essa canoa de madeira que é o barco tradicional na Amazônia.

Fomos vítimas de nossa primeira tentativa de furto… Boa ideia ter colocado todos nossos alforjes numa grande sacola, fica mais difícil para os ladrões. É preciso ficar atento noite e dia nesses barcos, sobretudo no último dia antes da chegada a Belém.

Vista do banheiro

Encontro com uma simpática família!/span>

O sol se põe. O rio Amazonas nasce no Peru, depois corre para a Bolívia, o Equador, o Suriname, a Colômbia, a Venezuela, a Guiana, a Guiana Francesa e o Brasil.

Vanessa preferiu dormir no chão durante a viagem. De minha parte, detonei meu antigo recorde (15 minutos) de tempo numa rede!

Depois de 115 horas de barco, finalmente chegamos a Belém. O ideal é fazer esse trajeto em duas etapas com uma parada em Santarém para conhecer Alter-do-Chão, o caribe da Amazônia.

Um pouco mais de 80 pessoas a bordo e milhares de garrafas de refrigerante para abastecer as cidadezinhas!

Publicités