Gramado, neve, albergue da juventude e prestigioso festival de cinema

6 de julho- Cruz Alta
Cambará do Sul→Parque National de Aparada da Serra →São Francisco de Paula→Canela→ Gramado
120 km em 2 dias de bicicleta

Em pouco tempo, passamos das estradas de terra às estradas de asfalto de 4 pistas, de um parque nacional à simpática cidade de Gramado onde o kitsch e a atmosfera europeia andam lado a lado, do sol ao chuvisco voltando ao sol. Pé na estrada!

Situada a 1.000 m de altitude, a cidadezinha de Cambará do Sul é um dos lugares que recebem mais nebe no estado do Rio Grande do Sul (o que não é muito em comparação com o Quebec!). Sob um belo sol, e sem ter visto neve, tomamos o caminho de terra que conduz ao Parque Nacional dos Aparados da Serra. Nossa estrada é enfeitada por numerosas araucárias, porque o parque contém uma das últimas florestas deste tipo no país. Essa área protegida foi criada em 1959 para proteger essas árvores emblemáticas da Mata Atlântica. Entretanto, a principal atração do parque é o Cânion do Itaimbezinho, com centenas de metros de profundidade e quase 6 km de comprimento. Aproveitamos esse belo dia para percorrer as diferentes trilhas com nosso amigo cicloturista André. Nossas pedaladas param alguns quilômetros adiante num campo onde acampamos sob um céu estrelado magnífico. Po outro lado, uma das nossas noites mais frias, 3 graus!

Cânion do Itaimbezinho

Dia 24 de junho, depois de um dia de bicicleta, fazemos um fogo para celebrar a festa de São João. Como bons quebequenses, brindamos com André comendo linguiças grelhadas na brasa. Uma curtição só! No dia seguinte, brrrr, está úmido. Abro a janelinha de iluminação da barraca, as árvores mal se distinguem na bruma. Depois de vários dias agradáveis de co-ciclo-viagem, nossos caminhos se separam. André parte para a capital do estado, Porto Alegre, mais ao leste, e nós para Gramado. Os 40 km que nos separam de nosso destino do dia correm bem apesar da chuva e do frio. Na estrada, passamos rapidamente pela cidade de Canela onde reparamos nos horários das quedas de neve da cidade…

Horário de funcionamento da neve… em forma de bolhas de sabão!

Chegamos enregelados na Secretaria de Turismo de Gramado. Ambiente estação de montanha rima com preço elevado. O menos caro é o albergue da juventude onde dormimos no dormitório do Marrocos – já que o do Canadá estava cheio de brasileiros. Nada mal: maior e mais quentinho do que nossa barraca molhada! Além disso, o famoso Café da manhã é farto (à vontade) e variado. No dia seguinte, o sol está raiando quando subimos em nossas bicicletas para dar uma volta na cidade.

Estilo europeu em Gramado

Mesmo com calor, a toca é popular – Lago Negro em Gramado

Decidimos permanecer um pouco nessa cidade para encontrar os organizadores do Festival de Cinéma de Gramado que celebra seu 40 anos em 2012. Após alguns pequenos quiproquós, encontramos o produtor executivo do festival, Ralfe Cardoso. Uma entrevista interessante para nosso vídeo documentário apresentando a história desse festival internacional que reúne a cada ano milhares de pessoas na cidade. Até recebemos de presente o livro que celebrou os 35 anos do festival.

O produtor executivo do Festival de Cinéma de Gramado – Ralfe Cardoso

Publicités